quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Paróquia

 


 

 

 PARÓQUIA

Na Igreja Católica a definição de paróquia é dada pelo Código de Direito Canônico que declara: « Paróquia é uma determinada comunidade de fiéis, constituída estavelmente na Igreja particular, e seu cuidado pastoral é confiado ao pároco como a seu pastor próprio, sob a autoridade do Bispo diocesano. » (Cân. 515 § 1º). Determina ainda o direito canônico que « toda diocese ou outra Igreja particular seja dividida em partes distintas ou paróquias. » (Cân. 374 § 1º). Em geral as paróquias são circunscrições eclesiásticas territoriais que compreendem todos os fiéis de um determinado território. Entretanto há também as chamadas paróquias pessoais que são constituídas em razão de rito, língua ou nacionalidade dos fiéis de um território. (cf. Cân. 518) No magistério de João Paulo II «a comunhão eclesial, embora possua sempre uma dimensão universal, encontra a sua expressão mais imediata e visível na Paróquia: esta é a última localização da Igreja; é, em certo sentido, a própria Igreja que vive no meio das casas dos seus filhos e das suas filhas. » (Christifideles Laici, 26).

 

Paróquia Nossa Senhora Mãe da Divina Providência

            Antes de tornar-se a Paróquia Nossa Senhora Mãe da Divina Providência, ela era uma Capela pertencente até então da única Paróquia do Senhor P Sul, São Pedro Apóstolo, sendo Capela, ainda não tinha total autonomia para realizar os trabalhos pastorais tão necessários na vida comunitária.

            À frente de muitas atividades que embora não sendo Paróquia, mas possuidora de uma grande fé, a comunidade era motivada pelo casal João e Vera a trabalharem e não deixarem que os fiéis ficassem “carentes” no sentido de trabalhar em prol da criação da Paróquia, deste modo, este casal, com um ardor muito vocacional e impulsionados pelo Espírito Santo, realizavam novenas, rezas dos terços nos conjuntos, e antes de tudo, aos domingos as Santas Missas eram realizadas às 17h00, no pátio da Escola Classe 43 de Ceilândia, pelo já saudoso Pe. Manuel Pessoa, todos imbuídos de muita alegria, caracterizavam o pátio de forma a torná-lo um lugar digno de receber a Santa Celebração, e assim carregavam as cadeiras, carteiras e preparavam a liturgia sempre com bastante amor.

            Muitas também foram as Coroações de Nossa Senhora, naquele mesmo pátio, sempre com a animação de Dona Vera.  Inúmeras galinhadas, feijoadas, quermesses, para que fosse construído um templo no terreno cedido pelo governo de Brasília, na EQNP 14/18 Módulo A, para que a comunidade celebrasse de forma mais confortável e mais caracterizada possível com uma Igreja. Então em forma de um grande mutirão, a Capela Mãe da Divina Providência, foi erguida e as missas dominicais, como também os Ofícios de Nossa Senhora rezados aos sábados e também a Novena Perpétua de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, que eram também rezadas em todas as quarta-feira, faziam com que a fé nunca fosse apagada na vida daquela comunidade tão especial.

            Ao participar ativamente dessa história inicial a sensação que se tem é que realmente aqueles fiéis viviam inspirados na conduta dos primeiros cristãos, pois dividiam e partilhavam tudo, e grande era o amor que os motivava. “Unidos de coração frequentavam todos os dias o templo. “Partiam o pão nas casas e tomavam a comida com alegria e singeleza de coração, louvando a Deus e cativando a simpatia de todo o povo. E o Senhor cada dia lhes ajuntava outros que estavam a caminho da salvação” (Atos 2, 46-47).

            Desta forma a comunidade foi crescendo e ganhando identidade própria, por este motivo fez-se necessário haver um desmembramento da Paróquia Mãe e assim foi criada no dia 14 de janeiro de 1994 (confirmar esta data), a Paróquia Nossa Senhora Mãe da Divina Providência, que ganhou como Pároco o Padre Josias Vieira dos Santos, recém-ordenado no dia 04 de dezembro de 1993, com a criação da Paróquia e com a administração de um Pároco, pastorais puderam ser criadas bem como a Catequese, Pastoral do Batismo, Pastoral do Dízimo, Liturgia e tantas outras que conforme as necessidades foram ganhando forma e corpo, fazendo assim com que a Paróquia tivesse sua própria vida e necessidades.

                                                                                                      por Josileuda – PASCOM        


Faça seu comentário